Vai ser hospitalizado

ADMISSÃO
O que deve ou não trazer

Traga:
Lista de medicamentos que toma, nome do médico assistente, escova de dentes, chinelos, pijama,…

Não Traga:
Valores como jóias, grandes quantidades de dinheiro, televisão, rádio/despertador, álcool, cigarros, …

Se por algum motivo trouxe alguns valores informe a Enfermeira para os guardar. Ser-Ihe-ão devolvidos na alta.
O HGSA não se responsabiliza por qualquer dano ou extravio de valores que sejam trazidos para o interior do hospital que não obedeçam ao procedimento descrito acima.

INTERNAMENTO
Cada Enfermaria tem a sua rotina própria.
Contudo, existem informações gerais aplicáveis a todos os doentes, independentemente do local onde estejam internados.

FUNCIONÁRIOS
Os funcionários do HGSA estão identificados com um cartão contendo o nome,
fotografia e actividade profissional.

FUMAR
Proibido fumar dentro das instalações do Hospital Geral de Santo António.

TELEMÓVEIS
Desligue o telemóvel, quando isso lhe for solicitado.
Utilize sempre o modo de vibração ou toque no volume mínimo.

TELEFONES
Os telefones públicos estão disponíveis em quase todos os pisos dos dois edifícios e aceitam moedas e cartões. Se tiver dificuldades em utilizá-los, por favor peça colaboração.

BARBEIROS
O Hospital Geral de Santo António dispõe de um serviço de barbearia. Sempre
que necessite, solicite-o junto da Enfermeira.
O serviço de barbeiros está disponível de segunda-feira a sexta-feira das 7h30 às 12h30 e das, 14h às 15h e aos Sábados das 7h30 às 12h.

REFEIÇÕES
Aos acompanhantes de crianças internadas é fornecida uma senha por dia e refeição.
O consumo das refeições (almoço / jantar) é feito no refeitório de pessoal, localizado no piso 0 do edifício Satélite e funciona ao almoço, entre as 12h e 14h30 e entre as 19h15 e 20h45, ao jantar.

Pequeno-almoço 8h45 – 9h15
Almoço 12h15 – 12h45
Lanche 15h45 – 16h
Jantar 19h – 19h30
Ceia após as 21h30

As visitas e/ou acompanhantes não devem ser portadores de alimentos para os doentes, excepto com a autorização da equipa de saúde.

VISITAS
No horário referido só é permitido o acesso a dois visitantes, podendo estes
dar lugar a outros após a sua saída.

Horário geral 11h – 19h30
Obstectrícia 12h – 19h30 (2 acompanhantes)
UCIC 15h30 – 17h30 (1 acompanhante)
UCIP 15h – 16h e 17h – 18h (1 acompanhante)
SCI 1 16h – 18h (1 acompanhante)
SCIPC 16h – 18h (1 acompanhante)
SCINP 24h (pais)
12 h – 18 h (avós ou irmãos desde que autorizados)
Pediatria 8h30 – 20h30min. (pais)
20 h 30 min – 8h 30min. (o pai ou a mãe)
durante o dia, na saída do pai ou mãe, é permitida 1 visita

Só são permitidos visitantes com menos de 10 anos de idade, desde que acompanhados por adultos, nos seguintes casos:
a) o doente internado é o pai ou a mãe;
b) o doente internado é um irmão ou irmã com menos de 14 anos;
c) quando nasce um irmão ou irmã;
d) nos dias de Natal, 1.° de Janeiro, Páscoa, dia da Mãe e dia do Pai.

COLABORE NO SEU TRATAMENTO E SEGURANÇA
Partilhe informações importantes como: alergias, medicamentos que toma, consultas agendadas.

Questione sobre o seu estado de saúde.

Lembre-se que para serem realizados determinados exames e cirurgias é necessário o consentimento informado.

Todas as camas têm bandas de protecção. Não as mova sem pedir ajuda.
Sempre que necessite de ajuda use a campainha.

O REGRESSO A CASA
Na alta do Hospital, certifique-se que:
– leva uma carta para o seu médico de família / assistente;
– consulte logo que possível o seu médico de família;
– entendeu bem a continuação do tratamento, os medicamentos que tem de tomar e como os deve tomar;
– confirme a data e o local de consulta externa, se for o caso.

DIREITOS E DEVERES DOS DOENTES
Direitos
1. Ser tratado no respeito pela dignidade humana.
2. Ser respeitado pelas suas convicções culturais, filosóficas e religiosas.
3. Receber os cuidados apropriados ao seu estado de saúde, no âmbito dos cuidados preventivos, curativos, de reabilitação e terminais.
4. Prestação de cuidados continuados.
5. Informação sobre os serviços de saúde existentes.
6. Informação sobre a sua situação de saúde.
7. Obter uma segunda opinião sobre a sua situação de saúde.
8. Dar ou recusar o seu consentimento, antes de qualquer acto médico ou participação em investigação ou ensino clínico.
9. Confidencial idade de toda a informação clínica e elementos identificativos
que lhe respeitam.
10. Acesso aos dados registados no seu processo clínico.
11. Privacidade na prestação de todo e qualquer acto médico.
12. Independentemente ou através de organizações representativas apresentar
sugestões e reclamações.

Deveres
1. Zelar pelo seu estado de saúde, de forma a garantir o seu bem-estar e o seu restabelecimento.
2. Fornecer aos profissionais de saúde todas as informações relevantes para a obtenção de um correcto diagnóstico e adequada terapêutica.
3. Respeitar os direitos dos outros doentes.
4. Colaborar com os profissionais de saúde, respeitando as prescrições que lhe são indicadas e por si livremente aceites.
5. Respeitar as regras de funcionamento das instituições prestadoras de cuidados de saúde a que recorre.
6. Proceder ao pagamento dos encargos que derivem da prestação dos cuidados de saúde, quando for caso disso.